sexta-feira, 25 de março de 2011

Qual Cor Escolher?

Quando pensamos em pintar as paredes de um ambiente, muitas coisas vêm à mente. Primeiro nós pensamos geralmente na cor branca, tradicional para as paredes. No entanto, a meta é de nenhuma maneira usar a única opção padrão e pintar as paredes e elas ficarem sem vida.

 
No momento da pintura de uma sala, você deve ter em mente o seguinte:
  • Qual o tamanho do ambiente?
  • É um ambiente com boa iluminação natural ou um ambiente escuro?
  • Qual é a minha cor favorita?
  • Qual cor predomina nos elementos de decoração e mobiliário do ambiente?
  • Qual cor é fácil combinar com as demais?
Agora é hora de começar a responder a essas perguntas. Se a sala é pequena, ela deve ser pintada com cores claras. As cores escuras tendem a criar um efeito visual que reduz os ambientes.O mesmo aplica-se a ambientes com pouca luz natural. Alguns truques podem ser usados para quebrar a monotonia de ambientes com paredes muito claras. Um ambiente que recebe muita luz natural faz com que as cores brilhem mais e fiquem mais radiantes. Se o ambiente tem pouca luz natural, use uma boa iluminação artificial fria, com lâmpadas de mesa e de pedestal.

 

Se a sua cor favorita é vermelho ou azul ou outra cor quente, está motivado a não pintar a sala toda nessa cor, quer pintar apenas uma parede com ela e o restante em uma cor clara, branco ou bege, por exemplo. isso vai adicionar cor ao ambiente sem se tornar demasiado colorido ou pesado.

 

Você também deve levar em conta os móveis que você já tem para escolher a cor das paredes. Se você está pensando em mudar as cadeiras ou no sofá da sala, tenha certeza de que a nova pintura nas paredes não irão destoar com a decoração.

 

E outra dica: as salas são lugares onde nós gastamos tempo para relaxar, descansar e receber conhecidos. Tente não escolher cores muito berrantes e brilhantes, opis um ambiente nesses moldes são desagradáveis e cansativos. Cores pastel, bege, champanhe e creme, são perfeitos para este tipo de ambiente



 Para quebrar a monotonia das cores claras, coloque um detalhe que dará vida ao ambiente.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Instalação Elétrica. Como Cuidar? Parte 1

Uma das partes mais importantes de um imóvel é a sua instalação elétrica. É um item que tem importância no conforto, segurança e beleza de uma residência ou comércio.


O principal uso da estrutura elétrica residencial e comercial é no conforto que esta proporciona. Já imaginou sentar-se em uma confortável poltrona para ler um bom livro e o ambiente ter uma iluminação ruim? Seria muito desconfortável, não é mesmo?

Mas não basta sair correndo instalando lâmpadas e luminárias pela casa! Sabe porquê? Porque nesse momento esbarramos no quesito SEGURANÇA. Toda a estrutura elétrica de um imóvel é projetada para despender 'x' watts (medida de potência). Ou seja, você só pode ligar 'y' equipamentos (aqui tratamos lâmpadas como equipamentos) elétricos nas tomadas do seu imóvel. Se for ligado mais equipamentos do que os projetados, começam os problemas que podem chegar a comprometer o imóvel e a integridade física de quem nele está. Não vale a pena o risco!

Uma instalação elétrica que visa os três itens do início deste artigo, mas que principalmente coloca em primeiro lugar a segurança, é uma instalação de qualidade. Toda a estrutura elétrica deve ter um projeto bem equilibrado, com conceitos de segurança bem definidos.

Na continuação deste artigo veremos como elaborar um projeto bem estruturado e equilibrado, tendo como ponto principal a SEGURANÇA.


terça-feira, 26 de outubro de 2010

Como Calcular a Quantidade de Tinta?

É um das dúvidas que mais pesam na hora de pintar a casa: QUANTO DE TINTA DEVO COMPRAR?

O cálculo para se saber a quantidade aproximada de tinta é simples e só precisa de algumas variáveis para se descobrir a quantidade de tinta que se deve comprar.

Primeirmente se muna de uma trena (de preferência de cinco metros ou mais), calculadora, papel e lápis.


Meça todas as paredes de todos os cômodos da casa. Por exemplo, no quarto meça a largura e a altura de cada parede e anote no papel. Faça isso em todos os cômodos. Lembre-se que cozinha e banheiro geralmente são revestidos de cerâmica não necessitando de pintura, com exceção do teto.

De posse dessas medidas multiplique a altura X largura de cada parede. Faça isso com as medidas de todas as paredes e no final some todos os resultados. O resultado final é a metragem quadrada da soma de todas as paredes a serem pintadas.

Por exemplo, um quarto com duas paredes de 4mx3m e duas de 3mx3m (sendo 3m a altura) terá um total de 42 m². (4x3=12x2=24; 3x3=9x2=18; 24+18=42)

Após ter o valor total da metragem quadrada das paredes a serem pintadas, multiplique o resultado pela quantidade de demãos que serão usadas.


DICA: se a cor escolhida for a mesma da existente e a parede só apresntar pequenas sujeiras de poeira ou desgaste natural, uma demão é o suficiente. Se a parede contiver várias manchas de sujeira, mãos, pequenas fissuras, etc, duas demãos serão necessárias. Se, no entanto, você for mudar a cor por uma mais clara ou de tom diferente, ou se a parede tiver desgastada, com gorduras misturadas a poeira e outras sujeiras, serão necessárias três demãos. Outro caso em que três demãos são exigidas, é quando se remove molduras ou outro objeto que esteja fixado a parede com massa ou gesso.

No site da revista Arquitetura e Construção tem uma calculadora própria para calcular a quantidade de tinta necessária para a pintura da casa.

Na lata da tinta de cada fabricante está impresso o rendimento da tinta. Em média podemos usar um galão para 40 m² de parede com uma demão.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

O INVERNO ESTÁ ACABANDO E VEM AÍ A ÉPOCA DAS CHUVAS! 2

Quando não é possível recuperar o telhado apenas com uma lavagem ou limpeza mais pesada, é porque chegou o momento, muito provavelmente, de trocar telhas, ripamento, caibros e/ou vigas. A troca de vigas e caibros raramente se faz necessária, exceto quando existe muita umidade e/ou pragas (cupins, por exemplo) que fazem com que o madeiramento seja destruido. O forro é um grande depósito de todo o tipo de sujeiras, pequenos animais, poeira, etc, e também pode comprometer o telhado.


Quando o telhado é confeccionado com material de boa qualidade, principalmente o madeiramento, bastam limpezas esporádicas para conservá-lo por anos a fio. Para evitar as pragas que destroem definitivamente o madeiramento usa-se veneno próprio como preventivo. Duas boas demãos de verniz também ajudam a conservação do madeiramento.


A colocação de manta térmica além de manter a temperatura da cobertura, ajuda na conservação de todo o madeiramento e forro ou lage.


No caso das telhas é ideal que seja aplicado impermeabilizante a cada dois anos. Esse cuidado faz com as telhas durem tanto quanto o madeiramento. Telhas previamente pintadas dispensam o uso de impermeabilizante.

Outros itens do telhado que são importantes, são as calhas e rufus. Apesar de serem confeccionados com ferro galvanizado, com o tempo tendem a enferrujar e criar buracos, comprometendo assim o seu objetivo. Uma revisão sistemática das calhas também é um preventivo de conservação. Veja se existem objetos ou acúmulo de sujeiras que criem poças de água. Verifique os condutores regularmente para se certificar de que não estejam entupidos. Pintar as calhas e rufos com impermeabilizante próprio evita o enferrujamento deles. De tempos em tempos devem ser repintados.


A boa conservação do telhado traz conforto e segurança aos moradores da casa, além da boa aparência que agrada aos olhos.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

O INVERNO ESTÁ ACABANDO E VEM AÍ A ÉPOCA DAS CHUVAS!


Realmente em muitos lugares do Brasil a estiagem foi bastante forte e trouxe muitos problemas. Mas, o inverno está terminando e logo vem a Primavera e junto com ela as chuvas. Imensas chuvas e com ela grandes estragos. Em casas construídas em locais adequados, as preocupações diminuem e se concentram em uma única coisa: o telhado, as calhas e os condutores.

Esses três elementos da casa nos protegem das chuvas e de tudo que venha do alto, sujeiras, pipas, pássaros, folhas, galhos, etc. Mas se eles tiverem problemas, essa proteção vira um grande pesadelo. Telhas quebradas, telhado sujo, calhas e condutores entupidos ou mal soldados, podem fazer a primavera (época das chuvas, em outras partes do Brasil) ser a estação do sofrimento.

Todos sabemos que o telhado representa a proteção dos moradores da casa e dos objetos nela contidos. Além de ornamentar, é claro. Vamos ver alguns cuidados básicos que se deve ter com a manutenção do telhado e de coberturas em geral.


Muitas vezes uma simples lavagem geral do telhado, calhas e condutores pode representar, além da segurança, uma boa economia a médio prazo. Telhados sujos, calhas e condutores entupidos representam muita dor de cabeça ao dono da casa. Essa pode ser uma solução em casos simples.


Aguarde a segunda parte deste artigo.

A IMPORTÂNCIA DA REFORMA DE MÓVEIS COM ORIGINALIDADE

A imaginação não possui limites e só depende de cada um.

As novas tendências na Europa são os móveis antigos serem reformados e pintados de cores exóticas, como a prata misturada com a preta.


Orignais, eles dão sobriedade ao ambiente. Porém, deve-se ter o cuidado ao usar cores escuras. As cores escuras roubam a luminosidade do ambiente e só servem para ambientes amplos, sob risco de deixá-los ainda menores do que possam ser.

As cores sortidas em móveis dão vida e alegram o ambiente, mas só devem ser usadas com as paredes e teto de cores claras. Evite colocar cores nas janelas e portas, caso opte por móveis coloridos.

Muito usado, também, são os móveis recuperados e pintados de branco, decorando ambientes onde as paredes e tetos são igualmente brancos e o piso de uma cor mais forte. A vantagem é que essa técnica aplicada em pequenos ambientes os torna amplos. Ideal para kitchnetes.

Um dormitório com a cama branca e o ambiente em tons de brancos, traz muito conforto e sossego na hora do sono. Mas cuidado com os exageros! Excesso de branco sem algo colorido para dar um toque diferente pode deixar o ambiente apático, sem vida.

No próximo artigo sobre as cores na casa, falaremos sobre o feng shui e suas técnicas milenares de decorar com sobriedade e muita paz.



quarta-feira, 21 de julho de 2010

Como calcular os custos de pintura do imóvel?

Essa é uma pergunta muito comum quando se decide pintar a casa.

São três itens que irão pesar no orçamento na pintura de um imóvel. A mão de obra, os materiais e a logística.

A mão de obra é cobrada por metro quadrado (m²) da área total a ser pintada, incluindo o teto. Portas, janelas, portões, grades, balaustres, etc, são calculados por unidade e tipo.


Os materiais são calculados de duas formas, por m², no caso das tintas, massas, vernizes, primes, etc, de acordo com as especificações do fabricante e os insumos que serão utilizados, rolos, pincéis, lixas, aguarrás, etc.


A logística subentende-se a mão de obra e os materiais necessários para fazer chegar ao local dos serviços o material de pintura, o material de cobertura de móveis, janelas de vidro, pisos ou outros elementos que requerem tais cuidados (em alguns casos aluguel de andaimes) e outros custos não ligados diretamente a pintura em si.


Aqui trataremos somente dos dois primeiros itens, a mão de obra e os materiais para a pintura, já que o terceiro item depende de vários fatores que não podem ser envolvidos diretamente à pintura.

A primeira coisa a fazer é se munir de trena (de no mínimo três metros), papel e lápis. Uma calculadora também é desejável, mas não indispensável.

Meça a largura e o comprimento dos quartos, das salas e dos ambientes que serão pintados. Após medir as larguras e comprimentos, meça a altura do chão ao teto, sempre anotando numa folha de papel. Desconta-se o vão de portas, janelas e passagens dos ambientes. Para se descontar esses vãos, basta medir a largura pela altura dos mesmos e também anotar. Lembre-se que cozinhas e banheiros, ou qualquer outro ambiente, azulejados ou com revestimento que não será pintado, não deve ser colocado no orçamento. No entanto, geralmente existem os tetos nesses ambientes que requerem pintura.

Por exemplo, um quarto com de 5x3m tem duas paredes com 5 m e duas com 3 m. Mede-se a altura do ambiente (o mais comum é de 2,70 m) e faz-se o seguinte cálculo: 5 x 2.70 x 2 = 27 ou 27 m² Vamos supor que temos uma porta de 0,82 m de largura por 2,20 m de altura e uma janela de 1 m de largura por 1 m de altura. Fazemos o seguinte cálculo: 0,82 x 2.20 = 1,80 (arredondando para baixo sempre) temos 1,80 m² para a porta 1 x 1 = 1 temos 1 m² para a janela somamos os dois: 1,80 + 1 = 2,80 e temos 2,80 m² de vão que não será pintado Então subtraímos: 27 - 2,80 = 24,20 m² que é a área últil a ser pintada

Para cada ambiente fazemos o mesmo e no final somamos todos os valores obtidos e teremos a área útil a ser pintada.

Imaginando que temos uma casa com área útil de 120 m², fazemos o seguinte cálculo:

120 x 'y' = 'z', onde 'y' é o valor da mão de obra por metro quadrado e 'z' o resultado em R$ do valor da mão de obra. No nosso exemplo, se pegarmos o preço médio de R$ 8,45 para pintura de parede em alvenaria com látex/acrílica/pva, teremos:

120 x 8,45 = 1.014, ou R$ 1.014,00 para pintura com duas demãos.

A Pintura Mágica pratica preços bem abaixo da média de mercado. Veja um exemplo com a mesma metragem dada acima e executado pela Pintura Mágica:

120 x 6,32 = 758, ou R$ 758,00 para pintura com duas demãos. E a logística interna é por nossa conta, você não precisa se preocupar com nada.